WTF is… Community?

community

Estava procurando uma comédia para assistir e decidir ver vários pilotos. Apesar de ficar meio indecisa, acabei escolhendo para continuar com Community e não me arrependi nem um pouco.

Community se passa na universidade pública Greendale e acompanha a vida de pessoas bem diferentes umas das outras, mas que se completam de alguma forma. Quem une essas pessoas sem querer é Jeff Winger (Joel McHale), um ex-advogado que praticava direito sem ser formado. Ele começa um grupo de estudos para paquerar Britta (Gillian Jacobs), mas acaba ganhando uma família e tanto.

Devo dizer que a série me surpreendeu de muitas formas, mas principalmente no seu tom sarcástico e suas paródias. Assim como Abed (Danny Pudi), o personagem responsável por quebrar a quarta parede à toda hora, Community vive brincando com histórias clichês e nos surpreendendo.

Desde um episódio a la Law and Order sobre o ‘assassinato’ de um inhame até um episódio de natal em desenho, a série nos faz rir das ideias mais inusitadas. Eu poderia dizer que os melhores episódios são os que a universidade inteira joga paintball como se não houvesse amanhã. A cada temporada, temos um episódio dedicado a essa tradição parodiando filmes de cowboy, espiões e o que mais pensar.

community paintball

Community com certeza sabe brincar com referências muito bem. Nem sempre você vai entender todas, mas pode ter certeza que as que perceber vão valer a pena. Cada personagem traz um algo a mais para a série e, apesar de Jeff ser o líder do grupo, todos, por mais que não percebam, sempre se unem por causa de Abed.

Eu diria que Abed é um dos personagens meus favoritos. Ele ama séries e cinema, acredita viver em uma série – o que, bom, é verdade. É por meio dele que vemos os caminhos que a série pode tomar. Ele está sempre falando sobre as possibilidades de cada cena, o que deve acontecer ou não.

É muito divertido ter um personagem desses em uma série, e combina perfeitamente com a quebra de padrões que Communty tenta fazer sempre. É Abed, inclusive, que não cansa de falar como as melhores séries tem seis temporadas e um filme. E adivinha? Community conseguiu sua sexta temporada depois de ser cancelada, em parte, por causa disso. Só falta o filme daqui uns anos, né? #sixseasonsandamovie

O último episódio foca no que poderia ser a sétima temporada, em que cada personagem fala o que poderia acontecer. Acho que isso, por si só, dá uma ideia do que é a série. Sem contar que a fala final de Community encerra a série do jeitinho que devia, rs! Vi, inclusive, que estava em uma lista das melhores falas finais de séries. (Agora vocês vão ter que ver tudo para saber, muhaha).

Cada personagem submerge dos absurdos, se desenvolve e ajuda os outros a crescerem. Se tem uma coisa que Community faz é usar os esteriótipos ao mesmo tempo que tenta deixar seus personagens mais únicos.

Jeff, que era um solteirão solitário, aprende a amar o grupo mais do que ninguém, sempre fazendo seus famosos discursos. Já Abed, como disse, conecta fãs e personagens sem nem saber. É uma paixãozinha nerd e confusa.

Britta é uma rebelde contraditória que tenta fazer todos enfrentarem seus medos; Annie (Alison Brie) é a aluna mais aplicada e procura fazer todos se ajudarem; e Troy (Donald Glover) é o ex-estrela de futebol americano mais nerd da vida (e a amizade entre ele e Abed é a coisa mais divertida e fofa que existe).

Shirley (Yvette Nicole Brown) é uma mãe aplicada e cristã, que tem lá seus preconceitos, e Pierce (Chevy Chase) é o mais velho e antiquado do grupo (não é à toa que é sempre excluido). Chang (Ken Jeong) e Dean (Jim Rash) entram como participantes extras no grupo de estudo, sempre indo e vindo. Enfim, é um grupo inusitado e cheio de defeitos.

A série não é perfeita, ainda mais na última temporada, mas as risadas são garantidas. E, caso queiram um incentivo a mais, acho que todos conhecem a serie por meio desse gif aí embaixo. Esse episódio (3×03) é com certeza uma dos mais divertidos e envolve realidades paralelas!

community troy

Foram muitas risadas e noites em claro. Maratonei a série em algumas semanas. É uma série inusitada, light (na maior parte do tempo) e confusamente engraçada. Bora assistir?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *