Review: Supergirl 4×21 – “Red Dawn”

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio “Red Dawn”, exibido no dia 12/05/2019.

Red Dawn, o amanhecer que nos trouxe tantas reviravoltas e cenas maravilhosas. Kara começa sequestrada, de onde paramos o 4×20. Já sabíamos que os planos do presidente não dariam certo, o inesperado foi encontro entre Red Daughter e Kara bem quando ela estava escapando.

Achei até que os planos de Lex ao usar a Red para fingir ser a Kara ia mais além, mas parece que não. Ela logo aparece para matar Kara e me parece até mal utilizada depois disso. As duas ficam frente a frente e Red, apesar das ordens que recebeu, se demora tentando fazer Kara confessar que não vale a pena proteger os Estados Unidos.

Red está diferente do que vimos antes, ela não tem mais qualquer dúvida e é bem o estereótipo de um espiã russa. Por mais que eu saiba que elas não mudariam a opinião uma da outra, esperava que Kara tivesse falado o que já pensou antes, sobre como essas criações a fizeram tão diferentes, mas podiam ainda ser a vontade de ajudar como algo em comum.

Talvez eu quisesse que Red voltasse a sentir empatia por Kara, não sei. Meu desejo de vê-la fora das manipulações de Lex não foram sucedidas ainda é latente, mas o episódio só nos afasta disso. Ainda assim, vemos alguns sinais da parte mais humana de Red.

Kara, apesar de enfraquecida pela krypitonita, já passou tanto por essa situação que consegue se libertar e foge para a casa de J’onn para se recuperar do tiro que levou. Uma coisa fica clara: toda a armação do presidente fica óbvia. E, apesar de Kara ter sido um pouco mais esperta do que eu tinha falado e deixado uma cópia das suas descobertas na Cat Co., ela continuou perdendo sua pesquisa pois não deixou outra cópia escondida. Próxima vez que descobrirem teorias conspiratórias, fica a dica.

Desolada, ela percebe que não pode nem contar para Alex que a irmã está correndo perigo porque não pode revelar sua identidade. Aí vem o grande centro emocional do episódio. Alex está começando a ter de volta algumas memórias da infância com Kara e seus poderes.

Vale mencionar que em uma das cenas, inclusive, Kara fala como só pode tê-la como melhor amiga porque ninguém a realmente entende sem saber de seus poderes – o que representa exatamente essa falta que as duas fazem uma para a outra.

Mesmo depois de descobrirem o apartamento de Red de uma maneira incrivelmente específica, Alex continua sem entender porque Red estaria stalkeando sua irmã. Vamos lá, Alex, vai dizer que esses olhos da Supergirl te olhando com tamanho amor nesse lugar não te dizem nada??

Ignorando a obviedade, não pude deixar de sentir cada suspiro e cada lágrima que Alex dá nesse cena. Pensando o quanto Alex sente a falta dessas memórias das duas, a reação dela me pareceu fazer bastante sentido. Não é que ela tenha visto Kara em perigo, mas seu coração lhe diz que tem algo muito errado, algo faltando, algo fundamental e importante que fazem essa relação ainda maior.

Essa sensação só aumenta e, quando Kara percebe que Red está com Eliza como refém, ela deixa Alex ainda mais confusa. É assim que temos um segundo round do confronto entre Kara e Red. Kara tenta falar de novo o quanto Alex está usando Red e tudo que ele fez de ruim, mas isso não parece abalá-la.

A luta em si não tinha nada demais, mas o que faz especial é que Alex aparece e essa visão da irmã sofrendo cada vez mais a fazer destravar memórias de todos os melhores momentos das duas. E aí sim todas as lágrimas caíram, e nem a rapidez estranha de Alex e a continuidade suspeita estragaram esse momento.

Kara parece não respirar mais, Red vai embora surpresa com algo e ficamos com Alex implorando a irmã voltar para ela, implorando para Kara conseguir forças do sol de alguma maneira. Os escritores quiseram acabar com a gente de vez no 4×21.

Felizmente, de maneira esperada, Kara sobrevive e volta a ter sua irmã como antes <3 O único porém é que Lex pareceu chegar ao final do seu plano rápido demais. Ele mata Red fingindo ser Kara (ou pelo menos ela finge estar morta, estou contando com isso – não é possível que tenha sido tão rápido e ela não merece isso apesar dos apesares) e sai como salvador da pátria na televisão. Achei um pouco anticlimático para o que esperava de Lex, achei que seria uma coisa bem “ele parando as bombas nucleres enquanto voa”, mas a cena não deixa de ser forte: Superegirl morta em seus braços.

O único grande porém é que não me parece a visão de um herói que as pessoas esperariam. Quer dizer, por mais que pensem que a Supergirl é a inimiga, muitos acreditaram nela por anos. Olhá-la morta não parece ser uma imagem de um herói que acabou de impedir uma guerra internacional. Mas, vai saber, não sei o que essas pessoas estão pensando. Pode ser só que eu goste demais da Kara para aceitar que aceitariam essa imagem como algo bom.

O estrago está feito. E nem mesmo Lena descobrir esse plano todo de Lex antes de ser revelado adianta. Bem que eu queria que ela falasse sua descoberta de maneira triunfal, mas pelo menos ela tem sua cota de ação no episódio.

Ao se separar de Kara, Lena tem duas missões: descobrir uma forma de tirar o Harun-el no corpo de Lockwood (e James) e convencer Lockwood a entregar Lex. Para a primeira, ela pede ajuda da mãe de uma maneira bem mais precavida do que com Lex. Lilian só pode falar a verdade e tem 24 horas para encontrar uma solução ou ficará doente.

Para a segunda missão, Lena vai atrás de Ben e fala exatamente o que já sabíamos. A trajetória de Lockwood no poder, apesar de seus implícitos, foi fácil demais; e mais, estava sendo manipulado por Lex sem nem saber. Ben, pela primeira vez, parece meio perdido com essa informação e Lena decide explorar isso.

Com a ajuda de James, Lena vai atrás de Ben e confirma que ele não sabia de nada sobre o Lex e que não está feliz sobre isso. Se isso quer dizer que ele vai ajudá-los em algum momento? Eu não sei. Mas foi estranho ver James salvando Ben dos ataques de Otis, que, coincidentemente, decidiu matar o Ben agora que o plano de Lex tinha sido concluído.

No final, Lilian consegue até estabilizar os poderes e efeitos da cura de James. A minha dúvida era se o plano de tirar o Harun-el, não ia dar problema na parte que curou James. Se tirassem, ele poderia voltar a piorar não? Ou a ideia era exatamente encontrar uma forma de tirar um sem o outro?

Mas as reviravoltas não param por aí e o nosso grande alívio cômico se transforma nesse episódio. Brainy – aquele que fala que vai declarar seu amor a Nia no meio de uma reunião do DEO, aquele que faz de tudo para agradá-la – ganha uma faceta bem inusitada.

Juntamente com J’onn, Nia e Brainy criam um plano para salvarem os aliens sequestrados pelos homens do Lockwood. J’onn logo descarta o plano por ser perigoso demais, e, não dá outra, Brainy e Nia acabam capturados. Aí eu te pergunto: Sério que o Brainy achou que os dois sozinhos teriam maiores chances de dar certo do que com o J’onn? Se o J’onn tivesse usado seus poderes, eles não seriam pegos tão facilmente, pois não teria máquina nenhuma que revelasse uma tecnologia usada.

Não foi muito inteligente da parte deles e, tudo bem, J’onn até conseguiria salvar eles, mas Brainy é torturado e as coisas não tomam o rumo que esperávamos. Por ser do futuro e, bem, meio robô, Brainy tem uma conexão com seus antepassados. O que antes eram as “caixinhas” em seu cérebro onde ele guardava todas suas emoções ruins, agora se ampliam em experiências traumáticas.

Essas memórias antepassadas despertam em Brainy novos sentidos e poderes, o que seria ótimo, mas também acabam desligando todo o crescimento e processo de empatia que Brainy estava desenvolvendo desde que chegou em nosso presente – talvez até antes.

Se antes estava até divertido ver Brainy modulando a voz, chorando aleatoriamente e lutando de maneira impressionante, agora estou traumatizada com a frieza do personagem. Ele não só deixa Nia presa para servir quase de isca como ataca J’onn para que ele também seja capturado.

O melhor

  • ALEX SE LEMBRANDO <3
  • Haley ajudando Supergirl e Alex.
  • Lena maravilhosa descobrindo tudo sobre Lex e Lockwood.
  • Kara acreditando na parte boa de Red.

O pior

  • Inconsistências com Brainy e Alex, ela chegando quase tão rápido quanto a Kara e a transformação dia-noite.
  • Podiam ter usado mais a Red, espero que ela não tenha morrido mesmo.
  • Brainy frio? Achei pesado.

Nota 9,0

Uma resposta para “Review: Supergirl 4×21 – “Red Dawn””

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *