Review: Arrow 7×22 – “You Have Saved This City” [Season Finale]

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio “You Have Saved This City”, exibido no dia 13/05/2019.

Me segurem que eu não tenho tantos sentimentos sobre Arrow há anos! Tô aqui escrevendo essa review de madrugada e chorando, porque cheguei em um nível que daqui a pouco um buraco abre e me manda de volta para 2013. É o último episódio da temporada e, ainda mais importante, o último episódio da Emily Bett Rickards (atriz que interpreta a Felicity) na série, pelo menos oficialmente. O que isso significa? Que eu já deixei um lencinho do meu lado antes mesmo de começar a assistir, porque não tinha como isso terminar bem. Tô até me sentindo enjoada depois de tudo isso.

Mas comecemos no começo. No episódio passado, Emiko fez com que o Team Arrow parecesse os vilões, matando várias pessoas vestida de Green Arrow, e agora a polícia está atrás deles. Eles conseguem escapar, mas agora são fugitivos e todo mundo sabe a identidade deles, então não tem nem como se esconder direito. E, mais importante, Emiko ainda está querendo levar adiante o plano de soltar aquele vírus ácido na população e eles precisam impedir que isso aconteça. Para isso, contamos com a ajuda de dois personagens que tinham ido embora: Curtis e Laurel. Achei legal que eles voltaram para ajudar, fez sentido.

Emiko consegue atacar antes que o Team Arrow conseguisse impedir e algumas pessoas morrem nisso. Essa cena serve mais para conseguirmos mais um integrante para a causa: Ben Turner, o Bronze Tiger. Com a ajuda de Oliver e Laurel, ele conseguiu sair em condicional e agora resolve agradecer se juntando a eles para derrotar Emiko. A única pessoa que ainda acredita neles, porque o resto todo da cidade está os culpando pelas mortes.

E, quanto à Emiko, finalmente ficamos sabendo um pouco mais sobre seus planos. Ela planeja destruir a Queen Consolidated, ou melhor só o prédio onde costumava ser porque depois foi comprada pela Palmer Tech e agora não é nada, e quer matar ainda mais pessoas, culpando o Oliver e estragando a vida dele completamente. O único problema é que, como qualquer um pode perceber, essa é uma vingança totalmente pessoal e o resto do Ninth Circle não está nem aí para o Oliver. Como um dos capangas da Emiko fala, o objetivo do Ninth Circle era só causar caos em Star City para que eles pudessem lucrar. Isso fez muito sentido para mim porque, afinal, não seria capitalismo o grande vilão? (Não respondam, não quero debate político nos comentários.) Ou seja, para eles, só ter matado aquelas pessoas já deu certo, não precisam ficar continuando e gastando recursos só para estragar a vida de uma pessoa. Emiko diz que ela é a líder e faz o que quiser, e o que ela quer é arruinar a vida do irmão.

arrow 7x22

E Oliver quer exatamente o contrário. Ele resolveu que não quer matar a Emiko, mesmo ficando arrasado ao descobrir que ela deixou Robert morrer, ele quer quebrar o ciclo da violência, custe o que custar. Então quando todo mundo vai até a antiga QC, ele deixa os outros impedirem o vírus e tudo mais, ainda mais quando voltam a ter ajuda dos policiais, que resolveram inocentá-los, e vai ele mesmo atrás de Emiko. Mais uma vez, Oliver tenta conversar com ela enquanto eles lutam, ele fala sobre seus próprios sentimentos e como ele queria matá-la, que ele entende como ele foi levado pelo ódio e pela raiva, mas que isso só se retroalimenta. Ele fala sobre como as decisões da Emiko, como se envolver com o Ninth Circle, foi o que levou, em última instância, à morte da mãe dela, e como ela não precisa fazer isso, como ela pode viver uma vida melhor. Oliver usa por fim a clássica estratégia de se oferecer para morrer. Algum dia um personagem vai morrer dessa forma, sério, precisam parar de tentar se sacrificar para provar um ponto.

Emiko nem tem a chance de tomar a decisão, porque tomam por ela. Como falei, o Ninth Circle não está feliz com as decisões da Emiko e ela pode até ser a líder, mas para isso que existem revoluções. Uma outra moça, Beatrice, resolve tomar o comando, já que todo mundo está bem insatisfeito com o rumo pessoal que a Emiko estava levando tudo isso, e resolve matar a Emiko pra isso. Oliver acaba provando sua lealdade nesse momento, escolhendo ficar ao lado de Emiko e lutar contra eles, ao invés de simplesmente fugir enquanto o Ninth Circle tinha uma luta interna.

Tudo muito fofo, tirando que eles conseguem matar a Emiko. Ela até chega a se arrepender, contando para Oliver que ele precisava tirar a Felicity e o bebê da cidade, porque ela tinha criado planos para matá-los. Por fim, o Ninth Circle acaba explodindo o prédio, mas não antes que o Team Arrow em conjunto com a polícia tirasse todo mundo de perto e também elimasse o vírus, eu acho. Tudo muito bem solucionado e finalizado. Pena que ainda faltavam uns quinze minutos para o final.

A polícia perdoou o Team Arrow, mas as sementinhas do ódio na população foram plantadas e acho que temporada que vem vamos ver como isso se concretizou para o futuro. Mas por enquanto eles tiveram uma grande vitória e todos do Team Arrow comemoram. Depois que Curtis, Laurel e Ben vão embora, todos se reúnem, Roy fala que não vai ficar porque precisa lidar com o que aconteceu, e Oliver anuncia que ele e Felicity vão embora.

olicity and mia arrow

Honestamente, foi um episódio bem de final e poderia ter acabado a série ali por mim. O único motivo pelo qual vou ver a próxima temporada vai ser para fazer essas resenhas, porque interesse eu não tenho, tirando pelo crossover, que eu vou falar daqui a pouco. Oliver e Felicity dizem que vão se “aposentar”, não contando o motivo verdadeiro que foi o aviso de Emiko, dizendo que não era seguro para eles estar ali. Também explicam que não vão contar para eles sobre Mia, por questões de segurança.

Eles têm um momento muito muito lindinho no bunker, em que Oliver fala que o grande legado que ele está deixando é a existência do Team Arrow, e fala sobre os princípios do heroísmo que fez tudo dar tão certo. Foi aí que entra aquela tatuagem que vimos na Dinah e o tal marco dos quatro. Isso era tudo o que eu queria como final da série e só me deixa triste o fato de NÃO ser o final de verdade.

Ainda temos alguns momentos entre Oliver, Felicity e Diggle, o que é mais do que justo, já que foram os três que começaram tudo. E então Diggle leva os dois para a casa nova deles, onde nós vimos Mia crescendo, ele explica que um bairro super seguro, cheio de ex-agentes. E então nós vemos todos eles se despedindo, do jeito mais bonito possível. E Oliver e Felicity ficando ali, em uma vida pacífica.

Temos algumas cenas de Oliver e Felicity com Mia, depois do nascimento dela, e é com certeza a coisa mais fofa que já aconteceu em Arrow e tem lágrimas escorrendo pelo meu rosto só de escrever isso. Porque foi muito fofo, ok? E é tudo que eu sempre quis para Oliver e Felicity, que eles fossem felizes. Tô emocionada. E qualquer reclamação que eu tenha sobre Arrow, só quero agradecer pela cena da Mia no colo do Oliver enquanto ele dorme. Esse foi um presente especial para MIM, especificamente, minha nova cena preferida da vida. E tudo é absolutamente LINDO! Se tivesse terminado por aí.

Não terminou, porque o mundo odeia felicidade. Lembram daquele cara do último crossover com quem Oliver fez um pacto? O Monitor? Ele me aparece bem na minha casa, ou melhor, na casa de Oliver e Felicity. Ficamos sabendo que naquela ocasião Oliver aceitou fazer o que fosse preciso para salvar o multiverso desde que o Monitor salvasse Barry e Kara (que deveriam ser eternamente gratos), e o Monitor disse que chegou a hora de cobrar o favor e quer que o Oliver vá com ele. Ele anuncia que, não importa o que aconteça, ele viu que o Oliver vai morrer nesse conflito, não tem o que fazer, mas se ele aceitar ajudá-lo, pelo menos vão salvar outras pessoas.

Não tem muita escolha a fazer, Oliver diz que achava que teria mais tempo, mas sabe que precisa salvar o planeta. Ele se despede de Felicity, em uma das cenas mais bonitas, dizendo como ele nunca achou que poderia encontrar o amor e que ele só queria ter dito antes que a amava, ele pede que ela cuide da Mia e do William e se despede da filha, que é só uma bebezinha. E simplesmente vai com o Monitor.

Honestamente, achei LINDO, um final de herói trágico, muito digno. PORÉM, ainda mais lindo seria ele poder viver, poder criar os filhos juntos. Depois de tanta tragédia na vida dele, fazer o Oliver sacrificar sua felicidade e sua vida para poder salvar o mundo é desnecessário. Eu ainda espero sim que os eventos do próximo crossover alterem o futuro que conhecemos. Se não alterar, estou mais okay do que achei que estaria com isso, mas acho que eles merecem mais do que um final bonito, merecem um final feliz.

arrow flashforwards 7x22

Mas se eu espero que altere o futuro é só porque sabemos ainda mais o que tem no futuro. Durante esse episódio inteiro, vemos paralelos claros entre o que está acontecendo no presente e no futuro, e finalmente temos uma conclusão para o que está acontecendo nos dois tempos.

O pessoal do futuro também quase é preso, mas assim como o Team Arrow do presente conseguiu escapar, a equipe jovem também surpreende e salva todo mundo. Connor está infiltrado como um dos guardas e consegue dar uma arma para Mia, que avança nos robôs e salva todo mundo. Enquanto isso, Zoe consegue salvar William e o pai também, fazendo com que todos do futuro fossem reunidos. E aí, o que fazer? Todo pessoal mais velho é procurado pela polícia – apesar de terem sido perdoados no presente o que me deixou confusa – e eles têm o DNA deles registrados. Mas Felicity revela uma informação nova: o DNA da Mia não está registrado, porque ela conseguiu tirar ou sei lá. Ou seja, eles têm uma brecha para poder entrar nos Glades e destruir o Archer.

Destruir o Archer é difícil porque ele não tem um local do servidor, na verdade os servidores são o próprio muro da cidade, então precisaria destruí-lo para poder acabar com o Archer. Dito isso, todos os Young Arrow ou sei lá, isso é, Mia, William, Connor e Zoe resolvem que eles que eles são os únicos que podem fazer isso, já que suas identidades estão mais intactas.

Mia e William trabalham juntos, com a tecnologia e as habilidades de luta lado a lado, para poder conseguir essa missão. E quando chega um momento que eles precisam se arriscar, Mia mostra que o gene de auto-sacrifício é forte nessa família e resolve que vai até lá explodir o negócio enquanto estiver dentro. Vemos Felicity com uma certa dificuldade de deixar os filhos se arriscarem e seguir sozinhos, mas ela confia neles e não tem muita escolha. É claro que Mia não morre, porque isso seria absurdo, no último segundo ela consegue escapar e eles conseguem explodir o tal muro, com todo mundo escapando e tendo uma grande vitória.

Apesar da vitória, vários deles ainda são fugitivos, e os adultos resolvem passar o manto adiante, dizendo que vão embora e deixar que eles cuidem da cidade agora. Felicity tem uma despedida separada com os filhos, perto do túmulo do Oliver, com ela dizendo que precisava ir para uma jornada própria agora, que ela sabia que os dois cuidariam um do outro, e fala sobre como ela se orgulha deles e como o Oliver também estaria muito feliz por eles. William e Mia não entendem muito por que ela está se despedindo para sempre, mas fica claro que a Felicity não vai voltar.

E para onde ela vai? Ela chama o Monitor e passa com ele para um portal, deixando claro que ela vai encontrar com o Oliver. O que isso significa? NÃO FAÇO A MÍNIMA IDEIA. Foi apenas uma metáfora elaborada para a morte? Eu espero que não. Deu bem aquela sensação de final de Titanic com Rose e Jack se encontrando na morte, mas não entendo o que o Monitor teria a ver com isso. Talvez o Oliver esteja em outra dimensão e a Felicity tenha ido encontrá-lo. Seja o que for, foi um final muito fofo para essa timeline, mas eu não quero que seja o final real deles. Como falei antes, reverter as expectativas e mudar isso é muito melhor para mim. Mas só saberemos se vai mudar mesmo no último episódio da série, até lá só me resta rezar.

O Melhor:

+ FOI LINDO

+ Chorei demais e isso tem seu valor

+ Oliver e Felicity maravilhosos juntos e com a Mia

+ Felicity se despedindo dos filhos e indo seguir o próprio caminho, seja lá onde, no futuro

+ Oliver falando sobre seu legado

+ Bem aquela sensação linda de final

+ Me surpreendi que encerraram o enredo da Emiko e de tudo

O Pior:

– Fazer os heróis morrerem depois de conseguirem tudo o que querem É IDIOTA e CLICHÊ.

– Pode ser bonito, mas quero reescritura dessa timeline ainda, ninguém vai me convencer o contrário.

– Se não mudarem isso, é meio idiota não terem terminado a série logo agora. Tipo, QUAL É O SENTIDO DE CONTINUAR?

Nota: 9,0

7 respostas para “Review: Arrow 7×22 – “You Have Saved This City” [Season Finale]”

  1. Querida Flavia, você esqueceu quem é o verdadeiro vilão de Arrow: Marc Guggenheim. É PORQUE ELE ESCREVEU O CROSSOVER QUE DETERMINOU QUE OLIVER VAI SE SACRIFICAR. Por isso que temos esse Monitor interrompendo a aposentadoria feliz da família Smoak-Queen. Apesar que agora que penso nisso, acho que parte da minha raiva deveria ir para Stephen, pois penso que pelo que ele já falou em eventos, ele gostaria que Oliver morresse no final da série, o que me irrita. Eles merecem um final feliz!Mas não creio que morreram de fato, mas sim estão no espaço, onde não podem voltar. Ainda bem que não teremos Dinah e Rene no futuro, é minha conclusão. Abraços e obrigada pelo review rápido 😉

    1. Você tá certíssima de culpar o Marc ahhahaha também vi o Stephen falando sobre querer que o Oliver morra, mas ele não é o escritor, então o que ele quer não influencia em nada, fico chateada é dos outros concordarem. Mas ainda tenho esperanças de tudo isso seja revertido no próximo crosover, até mesmo porque não faz sentido eles já revelarem com antecedência uma morte tão importante, se fosse para o Oliver morrer mesmo, o normal seria deixar um “suspense”, não confirmar meses antes. Mas posso estar errada. Curiosa essa teoria sobre o espaço, faz mais sentido do que o Monitor abrir um portal para o “céu” ou sei lá haha Onde quer que estejam, mesmo que o futuro não seja alterado, espero que vejamos pelo menos uma cena no último episódio com todos (Emily pode fazer um cameo de um minuto mesmo, aceito qualquer migalha!)

      1. Após ter meu desabafo com minha fisioterapeuta, estou menos revoltada. Fico feliz que Olicity está junto, mas fula que Mia, William e Oliver não conviveram por muito tempo. Torço para que Emily volte no crossover. Abraços querida e obrigada pela resposta 😉

        1. Também fico triste com as crianças não terem tempo com o pai, mas tenho fé que isso vai mudar! A esperança é a última que morre haha

  2. Chorei muito com esse final. Foi um episódio cheio de carga emocional. Amei esse episódio!
    O final da Emiko foi justo e definitivo. E deu para ver como isso afetou muito o Oliver.
    As cenas do Oliver, Felicity e Mia foram simplesmente MARAVILHOSAS!! Essa família é linda demais!!
    Eu também quero que o Oliver e todo time tenha um final feliz, mas se matarem o Oliver eu entendo, odeio demais essa ideia, mas entendo. Ele faria de tudo para salvar as pessoas que ama e o mundo, ver eles salvo é a felicidade dele. Ainda mais agora que ele realmente entende o que é ser herói e quebrou o ciclo de violência que deu início a jornada dele. Oliver cresceu muito, na verdade todos eles. Nessa temporada ficou evidente o quanto o personagem vê as coisas de uma forma diferente do começo como a jornada dele agora é maior do que ele.
    Foi um episódio impossível de não se emocionar. E esse ficou realmente uma sensação de final de série, se eles tivessem decidido acabar assim, não seria ruim. As declarações de amor de Felicity e Oliver ao som de The other site da Ruelle foi demais pro meu coração, que perfeição de cena. Não sei o que esperar da próxima temporada, parece que o time não vai ficar sabendo desse “sumiço” do Oliver, então a oitava temporada, vai ser ele numa jornada com o Monitor, esperando a morte quando a crise chegar? São muitas possibilidades. Será que o maior vilão que ele vai ter que enfrentar é o destino?
    A temporada foi ótima e amei esse episódio, com certeza um dos melhores.

    1. Super concordo com tudo o que você disse, queria um final feliz reescrito e com todo mundo vivo, mas se não rolar entendo também e foi melhor do que eu imaginava que seria um final com o oliver morrendo. Também não faço ideia sobre como vai ser temporada que vem, mas eu acho que é capaz de ele interagir com os outros personagens sim, não sei como ele vai justificar que a felicity ficou em casa, mas não consigo ver oito episódios acontecendo só com Oliver e o Monitor interagindo, ia ser chato demais.

      1. Obrigada por ter respondido. Você tem razão sobre Oliver e Monitor.
        Acho que essa temporada já que é a última merecia mais episódios. Espero que esses 10 consiga dar o final digno que a série merece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *