Review: Arrow 7×16 – “Star City 2040”

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio “Star City 2040”, exibido no dia 18/03/2019.

felicity mia smoak arrow

Bem-vindos a 2040! Depois de meses, chegamos a um episódio dedicado totalmente ao futuro, para ver se a gente entende um pouco mais sobre o que está acontecendo. Se você achou que receberíamos respostas sobre o que aconteceu para o futuro ficar tão ruim, vai ficar decepcionado, porque isso ninguém fala.

Mas temos a oportunidade de ver Mia nascendo, em uma casa fofinha e afastada da cidade, com o Oliver bem ao lado da Felicity. Vimos Mia crescendo nessa casa, aprendendo a lutar com a Nyssa, o que eu vejo como um presente especial para mim, porque amo muito a Nyssa. E então chegamos ao final da adolescência e vemos o confronto entre Mia e Felicity. Mia foi criada em uma cidade pequena a vida inteira, com uma mãe superprotetora que nunca a deixou ir até a cidade, dizendo que era perigoso por causa de quem o Oliver era. É então que Mia descobre que a mãe vinha trabalhando secretamente como vigilante esse tempo todo, se sente traída e resolve fugir de casa.

Confesso que achei uma reação muito exagerada. Eu precisaria saber mais sobre o relacionamento entre Mia e Felicity para entender por que só de descobrir que a mãe estava trabalhando como vigilante ela se sentiu tão traída assim. Mas o fato é que ela se sentiu, fugiu para Star City, leu sobre vigilantes e resolveu que seus pais eram vilões esse tempo todo, como todos estavam dizendo.

E então chegamos ao presente (bom, futuro, mas o futuro que já estávamos vendo), Mia e William invadem os Glades – que são cercados por um muro – e chegam até as coordenadas que a Felicity enviou: uma empresa chamada Galaxy. Eles presumem que a mãe deve estar presa nesse local, então para isso precisam entrar dentro do prédio. Para a sorte deles, William tem uma empresa de tecnologia, portanto teria um motivo para entrar ali e tentar conseguir uma reunião.

Eles quase não conseguem entrar, com a identidade da Mia sendo bloqueada, se não fosse pelo retorno do Connor Hawke. Connor revela que trabalha para um grupo dentro do ARGUS, que na verdade é do bem – ao contrário do ARGUS dessa época que é horrível. Tenho minha hipótese de que, nessa realidade, o Dante ganhou a luta, controla o ARGUS e tudo mais. A Lyla ainda deve estar trabalhando de forma independente dentro do ARGUS e trouxe o filho para trabalhar junto.

arrow 7x16

De qualquer forma, temos algumas interações bem interessantes entre Connor e Mia, que indicam que talvez eles tivessem um romance. Mia se sente muito traída por ele ser filho do Diggle e ter sido mandado para ‘cuidar’ dela, sendo que ele nunca falou nada disso para ela. Os dois discutem sobre isso, mas Connor continua tentando ajudá-los.  

William e Mia encontram o CEO, em uma cena que me lembra muito a primeira temporada de Arrow, e fingem interesse no negócio, como forma de conseguir o DNA do moço e conseguir acesso restrito. Depois que conseguem isso, usam uma tecnologia do Connor para usar o DNA para acessar o elevador restrito e ir para o subsolo.

Depois de lutar com uns guardinhas como se não fosse nada, eles descobrem a Felicity presa em uma cela ali embaixo. Foi bem fofo ver a Felicity se reunindo com William e interagindo com a Mia, mesmo que a Mia ainda estivesse irritada.

Felicity diz que não era para eles irem resgatá-la e diz que não vai embora, porque está ali para desativar as bombas que vão destruir Star City. Quem não fica nem um pouco feliz com isso é Mia, que sente que a Felicity não está priorizando a família dela, se arriscando para salvar a cidade ao invés de ficar sem segurança. Felicity diz que ela é uma heroína e que isso significa priorizar o bem maior ao invés de si mesmo, e isso inclui deixar de priorizar a própria família. William resolve ajudar Felicity, mas Mia fica para trás, chateada demais com tudo isso.

Eu realmente gostaria de entender melhor sobre a Mia, queria um episódio que focasse mais nos pensamentos dela e o que aconteceu na infância que ela sente essa rejeição/traição tão forte. Connor fica para trás e conversa com Mia, falando sobre como seus próprios pais também muitas vezes o negligenciaram para salvar o mundo, e que quando ele era menor ele tinha raiva, mas agora entende que eles precisavam fazer isso. Connor também fala que Mia deveria fazer o que ela quer, e não deixar sua mãe manipulá-la ou dizer o que fazer. Mia resolve então ajudar a mãe a destruir as bombas e se junta aos outros.

star city 2040

 Roy, Dinah e Zoe ficaram de desativar as bombas, mas William e Mia foram sozinhos, e eles precisaram fazer suas próprias pesquisas. Depois de torturar um moço policial por investigação, eles descobrem que a morte da Felicity foi forjada e que a Galaxy que está por trás. Eles encontram com o Rene, descobrindo que ele está por dentro do plano de destruir Star City, achando que é uma boa ideia, porque vão pode ‘reconstruir a cidade do zero’, e depois de brigarem com ele, eles acabam indo até os Glades também. Lá eles também vão até o Galaxy, e encontram com todos os outros, com uma reunião de todo mundo que sobrou do Team Arrow.

Rene acaba aparecendo, dizendo que depois do discurso da Zoe – que falou sobre como o pai costumava ser um herói, mas se esqueceu de quem é – ele descobriu que os outros caras nunca planejaram evacuar Star City e que as bombas vão explodir nesse mesmo dia. O único jeito de impedir é destruindo um cubo tecnológico que o CEO que William e Mia encontraram antes fica levando para todo lugar.

Como é o dia da independência dos Glades, está tendo um baile de máscaras e o CEO vai estar lá. Todos eles se fantasiam e acabam indo para essa festa, procurando o moço. Essas cenas só são legais porque podemos ver Mia sendo absolutamente maravilhosa, lutando melhor que todo mundo e mostrando que ela é filha do Oliver mesmo – e que foi treinada pela Nyssa, ou seja, a melhor de todas. Mesmo com muitos guardas tentando impedi-la, Mia consegue derrotar todos e depois com um tiro certeiro, ela consegue destruir o cubo e impedir que Star City seja destruída.

Infelizmente, a culpa cai sobre os vigilantes conhecidos, Roy, Dinah e Felicity, mas a vida continua. Rene resolve ser um espião para a causa, fingindo ainda estar de acordo com tudo para poder destruírem quem está por trás disso. E descobrimos por que Felicity está arriscando tudo para derrotá-los: foi ela quem criou o Archer, a tecnologia que permitiu que tudo isso acontecesse, então sente que foi culpa dela.

Felicity e Mia têm uma cena fofinha também, em que Mia conta que odiava a mãe por muito tempo – o que eu não ENTENDO mas ok – mas meio que agora ela entende como deve ter sido difícil. Achei fofo! A melhor parte do episódio foi definitivamente ver Felicity com William e Mia, e todas as interações familiares acontecendo.

Mas agora: cadê o OLIVER? Todo mundo estava falando dele no presente, o que faz parecer que ele não morreu, como eu acreditava. Na hora que apareceu brevemente dois homens lutando em uma jaula, um deles se parece muito com o Oliver, o que é uma teoria possível. Talvez ele esteja sendo mantido prisioneiro por alguém, e eles vão todos ser reunidos depois que resolver esse problema. Ou ele realmente morreu/está desaparecido que nem o Barry e isso tem a ver com o crossover.

O Melhor:

+ Nyssa treinando a Mia. PONTO ALTO.

+ Felicity e Mia, pelo menos sabemos que elas são uma família direitinha.

+ Felicity e William

+ William e Mia sendo irmãos fofos

+ Mia e Connor, estou shippando

+ Felicity mais velha, adorei o visual!

O Pior:

– Mencionem o Oliver logo. Minha ansiedade não aguenta isso. Só dê uma dica sobre o que aconteceu!

– Mia fugir de casa e odiar a mãe foi uma reação muito desproporcional para o que aconteceu

– Por que ninguém mencionou que isso é só o Undertaking de novo

– Esperava que nesse episódio alguém explicasse o ódio aos vigilantes, mas não.

Nota: 7,5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *