Review: Arrow 6×22 – “The Ties That Bind”

Atenção: a resenha abaixo contém spoilers do episódio “The Ties That Bind”, exibido no dia 10/05/2018.

arrow the ties that bind

Depois de ser inocentado em seu julgamento, Oliver só quer relaxar e ser feliz. Infelizmente para ele, ainda tem mais uma semana até o season finale então nada feito. Diaz está bem insatisfeito com o resultado de seu plano e resolve que é hora para o plano B: simplesmente matar todo mundo. Simples, direto, sem nenhum problema, vamos só mandar um monte de gente para a casa de literalmente todos os vigilantes ao mesmo tempo, assassina todo mundo e acabou.

É claro que esse plano não dá certo, de alguma forma todo mundo consegue escapar ileso, mesmo sendo surpreendidos na própria casa. Oliver, entretanto, fica bem abalado com isso, afinal ele estava tendo um jantar agradável com o filho e a esposa, no conforto de seu lar, e vêm um bando de gente, entram pela janela, destroem a casa inteira e ameaçam a integridade física da família dela? Isso é passar dos limites. Respeitem a casa das pessoas! Ele manda logo o William embora com a Raisa, para um esconderijo de ARGUS, e queria até mesmo mandar a Felicity antes de ela se recusar.

O lado bom de atacar todo mundo de repente – e ainda incendiar o bunker, porque afinal a cada dois anos eles precisam trocar né – é que todos os vigilantes precisam se unir novamente. É isso mesmo, OTA e NTA se reúnem sem brigar pela primeira vez em meses, todos juntos no mesmo espaço. Apesar de ainda não estarem muito felizes e não confiarem um com o outro, eles concordam em se juntar dessa vez para combater Diaz, já que sozinhos não vão conseguir nada. Eu fico um pouco chateada com isso, porque depois de tudo acho que o Oliver merece um pedido de desculpas. Oliver mesmo já fez tudo o que podia, pediu desculpas, assumiu a culpa, está tentando melhorar, e não vemos o resto mover nem um dedo para restabelecer a equipe. Se eles só deixarem tudo isso de lado e voltarem a trabalhar juntos temporada que vem, acho que vai ter sido um desperdício de enredo.

Mas tá, vamos só ficar felizes que pelo menos não os vimos mais brigando. Ao invés disso, o único conflito interno que vemos no episódio é entre Oliver e Felicity. O motivo? Felicity está bastante dedicada a prender Diaz e coloca a própria vida em risco, indo a campo dessa vez, e Oliver fica bem contra isso. Ele usa argumentos irrelevantes para convencê-la disso, dizendo que agora que eles são pais a coisa é diferente, porque o William precisa da Felicity. Olha, eu AMO que a Felicity tenha assumido bem o papel de madrasta e esteja sendo uma mãe para o William, mas isso não é desculpa, até mesmo porque o Oliver é pai dele, então não deveria estar se arriscando também.

A questão é tanta que até Diggle resolve conversar com Oliver, falando que quando eles brigaram e Digg fez várias acusações, ele não quis dizer que Oliver deveria parar de trabalhar com a Felicity e tirar as coisas boas da vida. Eu queria mesmo é que Digg explicasse O QUE ele queria dizer, porque até agora essa briga dos dois não fez sentido. E faz menos sentido ainda quando os dois ficam conversando amiguinhos como se nada tivesse acontecendo. Tudo bem, já briguei feio com pessoas por causa de trabalho e depois continuei amiga ignorando o acontecido, mas todos sabemos que isso acaba voltando uma hora.  Mas foi bom eles estabelecerem que o Oliver estava delirando e bem errado quando resolveu que precisava trabalhar sozinho. Amém, porque era idiota demais.

arrow 6x22

Eu sempre gosto de episódios em que a Felicity vai a campo e dessa vez não é diferente. Depois de todos se reunirem no esconderijo do NTA, Oliver contatar Anatoly, eles armarem um plano para pegar Diaz desprevenido e quase dar certo, mas no final Diaz fugir de qualquer forma. Eles descobrem que tem um pendrive que Diaz está querendo proteger e resolvem conseguir as informações dele. Felicity precisa ir fisicamente até o lugar para poder hackear e descobrir o que tem nesse tal pendrive, que eles suspeitam que estejam todas as informações secretas de Diaz – como quem ele está chantageando e pagando. O problema é que Diaz está escondido agora na delegacia de polícia, um lugar bastante seguro porque tem todos os policiais corruptos o protegendo e é difícil para a Felicity ir até lá.

Lyla, que está nesse episódio, resolve ajudar, entrando na delegacia e colocando um dispositivo para a Felicity hackear. Não dá muito certo, tem um conflito, Felicity se envolve. O que importa é que a Felicity entra para roubar o pendrive e, depois, tenta descodificar o pendrive, e pronto, eles teriam todos os dados. Eu juro que já estava esperançosa que eles iam conseguir, quando um dos servis do Diaz consegue hackear a Felicity para descobrir a localização e eles invadem onde eles estão, colocando um gás intoxicante dentro. Felicity tenta ficar para trás para conseguir o pendrive, mas Oliver fica ali com ela e, quando vê que precisam sair dali logo ou a Felicity vai morrer, ele faz com que ela vá embora.

Tiveram vários momentos bonitinhos e o importante mesmo foi ver o crescimento do Oliver nesse episódio. Ele conversou com a Felicity várias vezes, falando porque não queria ela ali, mas ela insistiu que iria ficar, e depois no final ele admite que estava errado, que ele deveria ter confiado neles dois para deixar a Felicity salvo. Fofo! E foi triste que a Felicity não conseguiu pegar o pendrive, mas foi um bom call-back do Oliver dizendo que eles encontrariam uma outra forma que não envolve colocá-la em risco.

E eles encontram uma forma bem doida: ir até o FBI. No final do episódio, Oliver vai até Watson, aquela agente que o estava investigando, e pede a ajuda dela para derrotar Diaz, admitindo que é o Green Arrow. Agora o que vai acontecer eu não sei. Minha suspeita é que o Oliver vai fazer algum tipo de acordo com eles, ou ele vai aceitar parar de ser o Green Arrow ou fazer algum trabalho para o governo. Tenho quase certeza que, legalmente, o FBI não pode prendê-lo pelos crimes que já foram julgados e Oliver foi inocentado, então se ele não cometesse nenhum crime novo, não poderiam acusá-lo novamente. Só que isso é na lei verdadeira, como nós vimos no episódio anterior, Arrow segue as próprias regras, já que aquele julgamento não fez nenhum sentido legal. Ou seja, não faço a mínima ideia do que vai acontecer no futuro, mas acho que vai ser bem sem sentido se resolverem prendê-lo depois de tudo isso. Para que se dar o trabalho de fazer um episódio de julgamento para inocentá-lo só para deixar prendê-lo? Prefiro minha teoria.

ricardo diaz arrow 6x22

Uma coisa que não entendo de jeito nenhum é como a hierarquia de agências funciona nessa série. Para mim, o ARGUS era tipo uma CIA e poderia investigar essas questões com o Diaz no poder, mas aparentemente não. Antes, eu achava que o ARGUS era algo secreto e por isso que eles não falavam nada. Mas nesse episódio Lyla aparece e usa seu status como diretora do ARGUS para entrar na delegacia, alegando que mesmo que eles fossem corruptos, eles ainda estavam tentando manter as aparências e não poderiam negar a visita de um órgão federal. Ok, faz sentido, mas aí logo em seguida eles vão e começam um tiroteio envolvendo a Lyla. Isso é manter as aparências?

Eu realmente não entendo nada sobre isso, mas eu imaginava que o ARGUS fosse superior. Por que o Oliver pode ir até o FBI pedir ajuda e eles podem fazer algo, mas o ARGUS não pode? Se os dois são agências federais. E se for porque não é da jurisprudência do ARGUS, eles não poderiam simplesmente repassar a denúncia sem envolver o Oliver confessar sua identidade. Só dizer que a Lyla, diretora do ARGUS, esteve envolvida nisso e que eles têm esses dados – que não precisariam repassar, porque são uma agência separada e não subordinada a eles – e que o FBI deveria conduzir uma investigação a isso. Eu sei, eu sei, é uma série, eles precisam que o Oliver confesse a identidade dele para o FBI para deixar o enredo interessante. Eu só queria que eles dessem pelo menos uma explicação de por que isso não seria possível. Qual é o trabalho de Lyla, afinal? Como que o Diggle, no ARGUS, pode trabalhar interrompendo cargas ilegais ou algo assim, mas uma corrupção em massa na cidade o ARGUS não pode atuar?  Eu odeio isso.

E mais um desabafo: por que todo mundo tem medo do Diaz? Não faz sentido! Já não fazia sentido antes, mas nesse episódio ficou tão ridículo. Ele finalmente faz parte do Quadrante que ele tanto queria, e então quando entra em conflito com um dos membros, simplesmente a mata. E os outros ficam lá que nem idiotas, dizendo “você não pode fazer isso!”, enquanto o Diaz só vai, pega uma faca e mata o cara. Eles deveriam, pelo o que o Oliver mesmo fala, ser a máfia mais poderosa do país, e aí eles querem que eu acredite que eles nunca foram ameaçados antes? Chega um cara com uma faca, claramente interessado em ameaçá-los, e eles deixam? Nem tentam lutar ou desarmar. Eles deveriam ter controle sobre o PAÍS, ou seja, mais gente do que Diaz, que só tem uma cidade, mas são ameaçados com uma simples faca.

O interessante dos outros vilões é que todos eles tinham um je ne sais quoi sobre eles. Malcolm e Ra’s al Ghul tinham treinamento louco da liga, Slade tinha murakuru, Dhark tinha poderes. Aí chega um cara normal e deveríamos ficar assustados? E todos os outros mafiosos, que estão fazendo isso há muito mais tempo que ele e tem muito mais poder, estão com medo? Não tô entendo isso, não. Diaz matar dois dos membros do Quadrante foi bem aleatório para mim e só me fez ficar mais desconfiada com esses escritores.

O Melhor:

+ Oliver e Felicity, fofos demais.

+ Oliver confessando sua identidade para o FBI

+ Estou sempre feliz com a presença da Lyla

+ Diggle reforçando que ele não quis dizer que era para o Oliver trabalhar sozinho

O Pior:

– Diaz matando o Quadrante, depois de ficar só uma semana, e eles só deixando isso acontecer.

– Falta de sentido do ARGUS não intervir

– Todas as brigas internas serem ignoradas e tenho certeza que os Newbies agora que nunca vão pedir desculpas

Nota: 8,0

Uma resposta para “Review: Arrow 6×22 – “The Ties That Bind””

  1. Querida Flavia, você me representa. Realmente ARGUS não poder mandar no FBI não faz sentido. Fiquei fula com os cabaços não pedirem desculpas. E também continuo sem entender o que Diggle queria dizer com sua briga com Oliver. Felicity é diva <3 Mas enfim, ansiosa pelo teu review de 6×23. Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *